quinta-feira, 14 de julho de 2011

"Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar." Is 55.6,7

Foi esse o texto que ouvi, no dia em que confessei Jesus Cristo como Senhor e Salvador da minha vida, nunca esquecerei!
"As Escrituras, para o homem não regenerado, são como a luz para o cego. Podem ser sentidas como os raios solares são sentidos pelo cego, mas não podem ser claramente vistas. O Espírito Santo abre os olhos cegos e comunica a devida sensibilidade ao coração enfermo; e assim a confiança emana da evidência da experiência espiritual. Assim que é regenerado, ele começa a experimentar o sabor das Escrituras; e quanto mais ele avança, mais ele prova que são verdadeiras e mais ele descobre sua ilimitada amplidão e plenitude, e sua evidente adaptação destinada a todas as necessidades humanas sob todas as condições possíveis" A. A. Hodge

quarta-feira, 25 de maio de 2011

"Dá-me, Senhor, um coração vigilante que não se deixe desviar de ti por nenhum pensamento leviano, um coração reto que não aceite ser seduzido por instintos perversos, um coração livre que não se deixe dominar por nenhum poder maligno. Dá-me, Senhor, sensatez para te conhecer, sabedoria para te achar. Faze com que minha vida inteira seja do teu agrado"

Tomás de Aquino, 1225-1274

sábado, 7 de maio de 2011

O paraíso não é aqui na Terra!
        
         A vida eterna foi o presente que Jesus, o Cristo, nos concedeu ao morrer no calvário. Ser eterno, viver para sempre ao lado de Deus, ouvindo a Sua voz e vendo a Sua face; nunca mais sentir dor, tristeza, decepção... Como avaliar essa dádiva?
         É provável que alguns não valorizem esse indescritível benefício, por não conseguirem lançar seus olhos sobre a eternidade, na vida após a morte, mantendo-os fixos na realidade presente! Pensam: Deus só é real e bom se fizer alguma coisa por mim nesta vida, tem que ser agora, já! Adoram a um tipo de gênio da lâmpada, o qual lhes concede a realização de desejos ilimitados, tais como: eu quero um carro novo, eu exijo o meu apartamento novo, eu determino a saúde financeira da minha empresa!
E não é difícil pensar assim, ainda mais quando há tantos que recheiam seus sermões de toda sorte de promessas para aqueles que se tornarem grandes “mantenedores” do reino de Deus! Como se o reino de Deus fosse sustentado por nosso mísero dinheiro! Ou como se Ele fosse um grande mercador de bênçãos!
Por que não escuto mais sermões que me impelem a simplesmente adorar a Cristo por Ele ter salvado a minha alma do inferno, sem desejar extrair benesses dos Seus celeiros?
Por que estão fazendo de Cristo um garçom que deve estar pronto para realizar desejos eivados de ganância e avareza?
Onde estão aqueles que proclamam a mensagem da cruz? Que pregam a necessidade de termos uma vida santa e simples?
Por qual razão os versículos bíblicos têm a sua interpretação distorcida, a fim de que se possa angariar mais dinheiro para sustentar a farra de alguns que se dizem “líderes”, “enviados”, “apóstolos”?
Não! Não estou fazendo apologia a uma vida miserável! Podemos ser ricos? Sim. Podemos almejar melhorias em nossa tão efêmera existência? Sim. Porém, não é esse o alvo da minha relação com o Divino! O dinheiro não deve ser um deus para nós.
A vida cristã objetiva imprimir em mim o “jeito de ser” de Deus, o foco é estabelecer, em nós, a imagem e a semelhança de Deus que foi distorcida pela prática do pecado. Não somos cristãos bem sucedidos quando lucramos na bolsa de valores! Somos cristãos bem sucedidos quando andamos com Deus, e isso produz em nós um novo jeito de ser, quando trilhamos um caminho de amor, de respeito, de humildade, de contentamento na fartura e na escassez.
Não leio nas Escrituras Paulo e Pedro andando de carro importado, ou viajando de helicóptero ou jatinho particular! Antes, passando por incontáveis privações para que o verdadeiro Evangelho fosse pregado no mundo!
Cristo não nos deve nada para que possamos exigir alguma coisa Dele! Como poderia exigir alguma coisa Daquele que me amou a ponto de morrer por mim?
O que me faz pensar que detenho algum “poder” sobre as ações divinas na minha vida? Ao ler a Bíblia Sagrada, de forma responsável e com temor no coração, não percebo que o Senhor é Soberano? Foi isso que nos ensinou o profeta: “Quem guiou o Espírito do Senhor, ou como seu conselheiro o ensinou? Com quem tomou ele conselho, que lhe desse entendimento, e lhe ensinasse o caminho do juízo, e lhe ensinasse conhecimento, e lhe mostrasse o caminho do entendimento?” Is 40. 13-14.
Que crédito tenho eu, para legitimar uma cobrança diante do trono do Deus eterno?
Se tenho algo a dizer ao Senhor, que sejam palavras de gratidão, por Seu amor diário, por Sua paz, por seu conforto nos dias difíceis, por Sua inconfundível voz de encorajamento, quando o medo e a tristeza tentam dominar meu coração!
Senhor, ponha em minha mente uma medida de amor e confiança em Ti, que me permitam dizer como o profeta: “Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas.” Hc 3.17-19.

Hamilton Anselmo

quarta-feira, 6 de abril de 2011

"Não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê: primeiro do judeu, depois do grego.
Porque no evangelho é revelada a justiça de Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé, como está escrito: "O justo viverá pela fé".
Portanto, a ira de Deus é revelada do céu contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela injustiça,
pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou.
Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis;
porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e os seus corações insensatos se obscureceram.
Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos
e trocaram a glória do Deus imortal por imagens feitas segundo a semelhança do homem mortal, bem como de pássaros, quadrúpedes e répteis.
Por isso Deus os entregou à impureza sexual, segundo os desejos pecaminosos dos seus corações, para a degradação dos seus corpos entre si.
Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador, que é bendito para sempre. Amém.
Por causa disso Deus os entregou a paixões vergonhosas. Até suas mulheres trocaram suas relações sexuais naturais por outras, contrárias à natureza.
Da mesma forma, os homens também abandonaram as relações naturais com as mulheres e se inflamaram de paixão uns pelos outros. Começaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos o castigo merecido pela sua perversão.
Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam.
Tornaram-se cheios de toda sorte de injustiça, maldade, ganância e depravação. Estão cheios de inveja, homicídio, rivalidades, engano e malícia. São bisbilhoteiros,
caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, arrogantes e presunçosos; inventam maneiras de praticar o mal; desobedecem a seus pais;
são insensatos, desleais, sem amor pela família, implacáveis.
Embora conheçam o justo decreto de Deus, de que as pessoas que praticam tais coisas merecem a morte, não somente continuam a praticá-las, mas também aprovam aqueles que as praticam".
Rm. 1. 16-32 (NVI)

quinta-feira, 24 de março de 2011

O retorno do filho pródigo

"...O retorno do filho pródigo mostra a humanidade de Rembrandt, seu amor por detalhes e a aguçada percepção do coração humano. O pai perdoador, o filho penitente e o irmão mais velho, vestidos em roupas do século XVII, encaixam-se perfeitamente na parábola de Jesus. Ele nos faz lembrar a infinitude e a atemporalidade das Escrituras..." Kenneth Curtis.

quarta-feira, 23 de março de 2011

"Meus filhinhos, escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se, porém, alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo.
Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos pecados de todo o mundo.
Sabemos que o conhecemos, se obedecemos aos seus mandamentos.
Aquele que diz: "Eu o conheço", mas não obedece aos seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele.
Mas, se alguém obedece à sua palavra, nele verdadeiramente o amor de Deus está aperfeiçoado. Desta forma sabemos que estamos nele:
aquele que afirma que permanece nele, deve andar como ele andou.
Amados, não lhes escrevo um mandamento novo, mas um mandamento antigo, que vocês têm desde o princípio: a mensagem que ouviram.
No entanto, eu lhes escrevo um mandamento novo, o qual é verdadeiro nele e em vocês, pois as trevas estão se dissipando e já brilha a verdadeira luz.
Quem afirma estar na luz mas odeia seu irmão, continua nas trevas.
Quem ama seu irmão permanece na luz, e nele não há causa de tropeço.
Mas quem odeia seu irmão está nas trevas e anda nas trevas; não sabe para onde vai, porque as trevas o cegaram.
Filhinhos, eu lhes escrevo porque os seus pecados foram perdoados, graças ao nome de Jesus.
Pais, eu lhes escrevo porque vocês conhecem aquele que é desde o princípio. Jovens, eu lhes escrevo porque venceram o Maligno.
Filhinhos, eu lhes escrevi porque vocês conhecem o Pai. Pais, eu lhes escrevi porque vocês conhecem aquele que é desde o princípio. Jovens, eu lhes escrevi, porque vocês são fortes, e em vocês a Palavra de Deus permanece e vocês venceram o Maligno.
Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele.
Pois tudo o que há no mundo — a cobiça da carne, a cobiça dos olhos e a ostentação dos bens — não provém do Pai, mas do mundo.
O mundo e a sua cobiça passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.
Filhinhos, esta é a última hora; e, assim como vocês ouviram que o anticristo está vindo, já agora muitos anticristos têm surgido. Por isso sabemos que esta é a última hora.
Eles saíram do nosso meio, mas na realidade não eram dos nossos, pois, se fossem dos nossos, teriam permanecido conosco; o fato de terem saído mostra que nenhum deles era dos nossos.
Mas vocês têm uma unção que procede do Santo, e todos vocês têm conhecimento.
Não lhes escrevo porque não conhecem a verdade, mas porque vocês a conhecem e porque nenhuma mentira procede da verdade.
Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo: aquele que nega o Pai e o Filho.
Todo o que nega o Filho também não tem o Pai; quem confessa publicamente o Filho tem também o Pai.
Quanto a vocês, cuidem para que aquilo que ouviram desde o princípio permaneça em vocês. Se o que ouviram desde o princípio permanecer em vocês, vocês também permanecerão no Filho e no Pai.
E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna." 1 Jo 2. 1-25

segunda-feira, 21 de março de 2011

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.
Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas.
Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus". Jo 3. 16-21


domingo, 20 de março de 2011

Aemulator Populi

        
         Não dava muita atenção quando o assunto em baila era sobre pessoas invejosas. Por quê? Porque nunca acreditei muito nisso, para mim, tratava-se mais de uma má interpretação de quem se dizia invejado. Porém, nesses últimos meses, pude testemunhar quão terrível é esse sentimento, não por tê-lo experimentado ou por ter sido vítima dele, mas por tê-lo visto na vida de alguns! Que tragédia, como alguém se permite dominar por esse sentimento tão vil, tão pequeno, tão desagradável?
         Não sei muito se a vítima do invejoso é tão prejudicada como dizem! Parece-me, pelo contrário, que quem mais sofre em alimentar o doentio sentimento é o próprio invejoso. Por que digo isso? Porque o invejoso não vive sua vida, ele vive a vida do outro. O invejoso é um eterno frustrado, pois que os seus próprios feitos não o alegram, ele pensa que só será feliz se for o outro, aquele a quem ele inveja. Que grande perda de tempo!
         O invejoso não sossega, ele perde horas especulando a respeito do que fulano adquiriu, do que sicrano está estudando... Às vezes, o sentimento é tão forte que ele não consegue nem ouvir o que o outro está a falar, principalmente, se for concernente a algo que ele não compreende. Doutras vezes, tende a humilhar, a rebaixar e criticar, na inútil tentativa de tornar o outro menos valoroso que ele próprio. Que situação lamentável!
         Cumpre-nos lembrar o que nos disse Salomão: “O sentimento sadio é vida para o corpo, mas a inveja é podridão para os ossos.” Pv. 14. 30.  

Hamilton Anselmo

quinta-feira, 10 de março de 2011

Muito bom!

 

Panorama do Novo Testamento - Robert H. Gundry

"Seja feliz ao estudar. Encare o conhecimento adquirido pelo estudo como algo engrandecedor e positivo na sua vida e como uma grande oportunidade de crescimento". Ivan Lucas 

Prece árabe

"Deus, não consintas que eu seja
o carrasco que sangra as ovelhas,
nem uma ovelha nas mãos dos algozes.
Ajuda-me a dizer sempre a verdade
na presença dos fortes e jamais dizer mentiras
para ganhar os aplausos dos fracos.
Meu Deus ! Se me deres a fortuna,
não me tires a felicidade; se
me deres a força, não me tires a sensatez;
se me for dado prosperar, não permita que eu
perca a modéstia, conservando apenas o
orgulho da dignidade.
Ajuda-me a apreciar o outro lado das coisas, para
não enxergar a traição dos adversários, nem acusá-los
com maior severidade do que a mim mesmo.
Não me deixes ser atingido pela ilusão da
glória, quando bem sucedido, nem
desesperado quando sentir insucesso.
Lembra-me que a experiência de um fracasso
poderá proporcionar um progresso maior.
Senhor ! Faze-me sentir que o perdão é o maior
índice da força e que a vingança é prova de fraqueza.
Se me tirares a fortuna, deixa-me a esperança.
Se me faltar a beleza da saúde, conforta-me
com a graça da fé.
E quando me ferir a ingratidão e a
incompreensão dos meus semelhantes, cria em
minha alma a força da desculpa e do perdão.
E finalmente Senhor, se eu Te esquecer,
te rogo, mesmo assim, nunca Te esqueças de mim..."

Traduzido do árabe por Seme Draibe

quinta-feira, 3 de março de 2011

Ainda vive!

Há um período do ano, aqui em Brasília, em que a maior parte da vegetação desaparece, quando o verde dá lugar ao cinza. As árvores perdem suas folhas, a grama desaparece, e a impressão que temos é de que morreram, porém, elas permanecem vivas. Esse evento sempre me faz lembrar um interessante ensinamento: O Senhor Deus  pode tudo renovar! Às vezes, observamos pessoas ou analisamos situações que nos fazem sentenciar: está morto, não tem saída, não há solução, estamos perdidos, estamos insolventes! Porém, nossa constatação, comumente, é superficial e precipitada, pois Deus tem poder para nos surpreender! Precisamos entender que enquanto houver fé, por menor que ela seja, há chances de mudança, de transformação... E aquilo que parecia morto, poderá voltar a florecer e verdejar. Peço ao Senhor que possamos ver e sentir, nesses dias, aquilo que Ezequiel experimentou no conhecido vale de ossos secos, e havendo fé em nossos corações digamos: "Assim diz o Senhor Deus a estes ossos: Eis que farei entrar em vós o espírito, e vivereis" Ez 37. 5.

Hamilton Anselmo



sábado, 19 de fevereiro de 2011

“Duas coisas te pedi; não mas negues, antes que morra: Afasta de mim a vaidade e a palavra mentirosa; não me dês nem a pobreza nem a riqueza; mantém-me do pão da minha porção de costume; Para que, porventura, estando farto não te negue, e venha a dizer: Quem é o SENHOR? ou que, empobrecendo, não venha a furtar, e tome o nome de Deus em vão” Pv 30. 7-9

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Um privilégio

   Num momento inesperado de sua rotineira vida, você é surpreendido com a voz de Deus! Ele revela-se, Ele remove o véu que o impedia de conhecê-Lo. Antes, você só enxergava o antigo “negativo” que já não usamos mais, hoje, você vê a fotografia revelada. Você vê a beleza do Eterno... Que privilégio! Enxergar, saber que Ele é real, que Ele se comunica com você, que Ele cuida de você, que Ele tornou-se carne, rebaixou-se em nível humano, aceitou a humilhação, aceitou a rejeição, aceitou o escárnio, aceitou o vilipêndio do Calvário, com o firme propósito de fazer de você um ente eterno para a Sua adoração.
       Sabe o que acho mais interessante? Adorá-Lo não se trata de um encargo, não é um fardo, não é uma obrigação! Adorá-Lo nos beneficia, nos alimenta, dá razão para nossa entediante existência!
       Você, ao tornar-se um verdadeiro adorador, entenderá que Deus não é previsível! Ao lançar-se em adoração, você verá a gratificante criatividade de Deus!
                Obrigado meu Jesus Cristo, por Tua aliança.
Hamilton Anselmo

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Recomendo

Livro - A Batalha de Todo Homem - Stephen Arterburn

"A Batalha de todo homem", de Stephen Arterburn.

Estou aqui

“(...) eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém”. Mt 28.20b
               

Você já viveu uma situação em que o medo e a insegurança dominaram seu coração a ponto de você não conseguir vislumbrar uma solução para uma dificuldade que roubou sua paz?
Refiro-me àquelas ocasiões nas quais, embora cercado por parentes e amigos, não conseguimos enxergar alguém que possa por um fim naquilo que nos oprime e faz perder o sono.
Ocasiões que se assemelham a alguém que caiu dentro de uma cisterna e está há tempos gritando por socorro, mas ninguém aparece para lançar uma corda e tirá-lo de lá.
Pois bem, quase sempre nestes momentos pensamos que é o fim. Ocorre que, para aqueles que buscam a Deus e chamam por Ele, os desafios que enfrentamos e que tantas vezes nos deprimem são oportunidades em que o Senhor Jesus manifesta a Sua glória e demonstra o seu eterno cuidado por nossas vidas.
Vamos recordar do dia em que o Senhor acalmou a tempestade diante de seus discípulos, fato que ficou registrado em Mt 8.23-27, Mc 4.35-41 e Lc 8.22-25. Lembremos que ante a violenta tempestade que trouxe tanto desespero aos discípulos, o Senhor manifestou seu poder e pôs termo ao que parecia impossível para seus servos. Assim é o Deus das nossas vidas, seu poder não tem limites.
Não obstante existam momentos em que Ele pareça indiferente aos nossos sofrimentos, na verdade Ele não está alheio às necessidades de seus filhos. Deus sempre entra em cena no momento exato e demonstra o seu amor e cuidado por cada um de nós.
Certo é que muitas das tempestades pelas quais passamos são resultantes de nossa própria imprudência em conduzir os barcos das nossas vidas. Quantas tempestades nós prevíamos de longe, mas, mesmo assim, insistimos em deixar nossos barcos encaminharem-se para o olho do furacão?
No entanto, preciso dizer que, mesmo quando damos causa às tempestades, se nos arrependermos e chamarmos por Jesus, Ele não abandona o barco das nossas vidas! Ele nos perdoa e faz da tempestade uma calmaria.
            Se você está enfrentando grandes tempestades, creia que Ele está com você no barco, porque posso assegurar que Ele está. Ele está aqui, sempre estará aqui nos barcos de nossas vidas!
            Chame a Deus, peça para que Ele intervenha repreendendo o vento e o mar, e se fará completa bonança.

Hamilton Anselmo

sábado, 29 de janeiro de 2011

Mensagem ministrada na Assembleia de Deus Sudoeste - Brasília/DF(2011)

O meu Criador e Sustentador
http://www.4shared.com/audio/aH4Fez_j/O_meu_Criador_e_Sustentador.html

Mensagem ministrada na Assembleia de Deus Aliança Pentecostal - Fortaleza/CE (2007)

Ganhando mediante a perda http://www.4shared.com/audio/uDgb8V33/Ganhando_mediante_a_perda-_edi.html

Li e gostei

 "O Temor do Senhor", de John Bevere.

 


 De Machado de Assis: "Ressurreição".


Hamilton Anselmo

Cri e confessei

Um dia na história da minha vida a fé nasceu no meu coração e eu cri na Bíblia, eu acreditei que a minha vida de pecado me afastava de Deus e que nada do que eu pudesse fazer seria capaz de restaurar a minha comunhão com Ele.
Entendi, por outro lado, que Deus amou a minha vida apesar das minhas fraquezas. Por que me amou eu não compreendo, pois eu não merecia e não mereço este amor, mas Ele me amou, e esse fato ficou provado no momento em que Jesus, o Filho único de Deus, humilhou-se ao se reduzir temporariamente à forma humana e habitou entre nós, com a finalidade de morrer para apagar os meus pecados e me conceder a oportunidade de ser aceito pelo Pai.
            Quando cri em Jesus, senti arrependimento por minhas transgressões e decidi ter uma vida diferente da que levava, criou-se uma ponte, religou-se o cordão que havia quebrado, colocou-se uma escada entre o céu e a terra que me permitiria ter a comunhão perdida com o Ser de Deus.
A fé na ressurreição de Cristo tornou-me aceitável aos olhos santos de Deus, e um outro sentimento dominou meu coração: gratidão pelo presente que Cristo me deu.
A gratidão por Deus ter sofrido em meu lugar, por ter suportado as afrontas de meros seres humanos, por ter sido acusado injustamente, caluniado, difamado, açoitado e ferido por minha causa, sem que eu merecesse absolutamente nada!
Ao perceber tudo isso, meu coração O amou. E, em seguida, tornei público o desejo de entregar a minha vida em Suas mãos e tê-Lo como o único Senhor da minha vida.
Cumpriu-se na minha existência o que está registrado pelo apóstolo Paulo em Rm 10.9:

“Porque, se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”.

Além disso, aprendi que Ele não fez isso apenas por mim, mas por você também!
Você crê no sacrifício de Jesus Cristo? Você sente arrependimento por seus pecados? Você acredita que Ele é Deus? Você entende que a Bíblia é a Palavra de Deus? Você quer ter comunhão com Deus? Você quer sentir a maravilhosa presença Dele todos os dias da sua vida? Você quer que Ele formate em você o caráter de Cristo? Você sente gratidão pelo Seu perdão?
Se você deseja entregar sua vida a Deus, porque você não declara logo diante do mundo inteiro que é grato a Deus por tudo que Ele fez por sua vida?
Faça isso! Não há o que temer! Não há porque hesitar!
Asseguro, por experiência própria, que nada neste mundo pode ser comparado ao prazer e privilégio de ter Jesus como Salvador, Senhor e amigo. Digo, ainda, que se há algo de que me arrependo é do dos dias que vivi sem conhecê-Lo.
Ele ama a sua vida, Ele morreu por você, mas está vivo outra vez para transformar você e te dar a eternidade por herança. Quem neste mundo poderia conceder uma prova de amor maior do que esta?
Somente Cristo pode salvar a minha e a sua vida! Somente Ele é nosso resgate! Somente Ele é o caminho de volta para Deus!
A salvação não está distante, basta crermos em nossos corações e confessarmos com nossos lábios que Jesus Cristo é o único Deus, Senhor e Salvador de nossas vidas.

Hamilton

O que me move

Devido a experiências vivivas nesses últimos dias, fui levada a meditar um pouco naquilo em que acredito.
O que tenho percebido é que em um mundo onde quem tem boca fala o que quer, devemos ser muito cautelosos com o que é lançado em nossas mentes. A verdade é que estou cansada de não poder discordar de certas posturas. Estou cansada de gente tentando enfiar goela abaixo tanta presepada usando o nome de Deus, sob ameaças.
Não tenho prazer em ser alguém polêmica, nem em identificar erros nos outros de forma a me sentir melhor comigo mesma, ou acima dos outros... A questão é que tem doído nos ouvidos e na alma...
Está difícil de aguentar o fato de transformarem Deus no gênio da lâmpada que está pronto a satisfaz nossos desejos mais insanos, egoístas, carnais.A prosperidade passou a ser o foco do evangelho, muitas vezes de forma aberta, outras de forma bem camuflada, sutil, entre meias verdades, sob jusificativas lamentáveis.
É duro abservar loucuras como condicionar a visita de anjos para abençoar as casas dos irmãos se e somente se  contribuírem financeiramente com os projetos que o deus dinheiro tem plantado no coração de celebridades evangélicas, ou como a escova de cabelo ungida que faz você esquecer dos problemas e bla bla bla...
Há muito  desisti de assistir a  programas evangélicos na televisão.
Não dá para aguentar mais o homem querendo ser sempre o protagonista, salvo por alcançar um estado de santidade, embora a escritura afirme que :
"Todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades como um vento nos arrebatam." Is 64.6
Alguém a pouco me disse: "tem muita gente querendo impor verdades no grito." Concordo plenamente! Sao pessoas ungidas demais, poderosas demais, gritando coisas aos quatro ventos, e ai daquele que questionar o que está sendo posto...
Não quero escrever com ódio. Trata-se apenas de um desabafo de quem anseia pela vida, pela verdade!
Por fim uma confissão: sabendo que estou sujeita às mesmas fraquezas, clamo a Deus por socorro, e a possibilidade de ser tragada por essas coisas me faz desejar, antes que isso aconteça, uma boa morte!
Liana

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

“Esta é a permuta que, em sua bondade infinita, ele quis fazer conosco: recebeu nossa pobreza, e nos transferiu suas riquezas; levou sobre si a nossa fraqueza, e nos fortaleceu com o seu poder; assumiu a nossa mortalidade, e fez nossa a sua imortalidade; desceu à terra, e abriu o caminho para o céu; fez-se Filho do homem, e nos fez filhos de Deus.” [João Calvino, As institutas, Cap XII, pg 6, Vl 4, edição especial, Editora Cep.]

Seja feliz



            Já ouvimos, provavelmente, mais de uma vez, que a relação que Deus mantém com cada um de nós é como a relação existente entre um pai e seus filhos. Ora, se Deus é nosso pai, com certeza Ele deseja que sejamos felizes.
            Eu acredito que Deus alegra-se quando nos vê felizes, pois se os pais humanos, que são falhos e limitados, almejam com todas as suas forças verem a alegria presente nas vidas de seus filhos, imaginemos Deus, que nos ama com um amor perfeito...
            É possível que Deus tenha nos criado para sermos infelizes? Entendo que não, mil vezes não.
            Vejamos o que Paulo disse em Rm 14.17 “Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. Logo, uma das características daqueles que pertencem ao reino de Deus é o fato de serem felizes, porque Deus cuidadosamente preparou para nós um presente: a alegria no seu Espírito Santo.
            Aquele que pertence ao reino de Deus têm a sua disposição a possibilidade de provar a felicidade tão procurada por todos os seres humanos em todas as partes do mundo, basta aprender, com o próprio Deus, a ser feliz.
            Somos felizes porque Deus revelou-se a cada um de nós; somos felizes porque nossos pecados foram perdoados; somos felizes porque, embora aparentemente nos faltem muitas coisas nesta vida, temos um lugar no céu reservado e preparado para cada um de nós; somos felizes porque o Senhor nos presenteia diariamente com sua presença e cuidado... Enfim, somos felizes porque somos amados por Ele.
            Mas há um detalhe, e temos que atentar bem para isso: há alguém que inveja essa felicidade que possuímos. Ele é o inimigo de Deus e inimigo de nossas almas... Ele não consegue ser feliz, porque se afastou de Deus, e não há como ser verdadeiramente feliz distante de Deus.
            Não há como ser feliz distante de Deus!
            Uma coisa posso dizer com certeza, o inimigo de Deus fará tudo para roubar a tua felicidade. E isso ele fará de várias maneiras, uma delas, por exemplo, é tentando fazer você acreditar que Deus quer privá-lo dos prazeres da vida... Mas essa idéia não passa de uma mentira.
            Abramos nossos olhos e peçamos a Deus para aprendermos a valorizar tudo que Ele fez, faz e ainda fará por nós.
            Seja feliz em Cristo e não deixe o inimigo roubar esse presente maravilhoso de você.
            Sejamos felizes, agradeçamos por nossas vidas sempre.
             

Hamilton Anselmo

sábado, 22 de janeiro de 2011

Gostei

" Quero servir a Jesus Cristo independentemente do que os outros pensem ou digam a meu respeito." (Pr. Nelson Barbosa no sermão do dia 16/01/2011)

"Esforce-se para ter integridade e não popularidade." (Bob e Debby Gass)

A máquina do tempo


             Se alguém um dia criasse uma máquina capaz de nos fazer voltar no tempo e reiniciar as nossas vidas, quantos de nós não desejaríamos fazer uso dela? Imaginemos como seria bom, como seria maravilhoso, reviver a nossa infância, nossa adolescência, nossa juventude... E poder fazer tanta coisa diferente!
            Pensemos naquilo que teríamos a oportunidade de fazer! Por exemplo, teríamos a chance de amar com todas as nossas forças os nossos pais, nossos irmãos, nossos familiares, nossos amigos. Como seria bom nos dedicarmos mais às pessoas, fazendo o bem, ouvindo mais e sorrindo mais. Como poderíamos empreender mais esforço para conquistar algo que almejamos tanto e que, no passado, por várias razões não conseguimos alcançar.
            Pensemos naquilo que teríamos a chance de não realizar! Escolhas que tomamos e que, agora, ao regressar no tempo, não tomaríamos mais. Caminhos que trilhamos... Pessoas que maltratamos e desprezamos... O tempo que perdemos longe de Deus, vivendo como estranhos, como desconhecidos, quando na verdade, poderíamos há muito ter sido amigos. Avalie a grandeza da oportunidade de fazer tantas coisas de maneira diferente daquilo que fizemos.
            A verdade é que esta máquina não existe, não é possível voltar no tempo. Nós não viveremos novamente as nossas vidas, e muito menos, outras vidas, como dizem aqueles que acreditam em reencarnação. Nós não nasceremos outra vez, mas, nesta única e irretroativa vida, temos, em Jesus Cristo a oportunidade de modificar o nosso caminho, na medida em que Ele nos capacita a amar quem deixamos de amar, perdoar e pedir perdão, viver momentos de satisfação e alegria que nunca experimentamos antes, sentir a paz que nunca tínhamos sentido, enfim, sermos novas pessoas, novas criaturas, com outros valores, com outro olhar, com outra consciência, afinal de contas foi Ele mesmo quem nos ensinou: “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.” 2 Co 5.17.   
Não percamos mais o tempo, deste dia em diante, aceitemos de Deus o presente de continuarmos a viver, no entanto, numa condição distinta da que vivíamos: na condição de filhos de Deus, fazendo aquilo que está prescrito em Sua Palavra, a Bíblia Sagrada, que é bom, que é saudável, que traz satisfação e completude para nossas almas.
            Faça, Senhor, novas todas as coisas em nossas vidas!
Hamilton Anselmo 


segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O valor do meu orgulho


“Semelhantemente vós, os mais moços, sede sujeitos aos mais velhos. E cingi-vos todos de humildade uns para com os outros, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”. 1Pe 5.5


            Ouvi, há poucos dias, alguém me dizendo que não adiantava eu falar acerca da Bíblia ou sobre a fé em Jesus Cristo, porque ainda que concordasse com meus argumentos, não daria o braço a torcer, pois era uma pessoa de opinião! E não mudaria sua forma de pensar em nenhuma hipótese.
            Algumas pessoas imaginam que possuir uma opinião própria imutável, inflexível, é sinônimo de inteligência e maturidade. Até entendo que não precisamos concordar sempre com a maneira de pensar ou crer das outras pessoas, mas não podemos permitir que nosso “senso crítico” nos impeça de descobrir que, algumas vezes, outras pessoas percebem melhor a realidade do que nós mesmos. Certamente esse é um dos ensinamentos que Platão desejou transmitir ao propor a famosa Alegoria da Caverna.
Acredito que a inteligência e a maturidade estão presentes na vida de alguém que é capaz de: ouvir os outros, meditar no que foi dito, discordar em algumas ocasiões, concordar em outras e até mesmo mudar de opinião e comportamento, quando vislumbram um caminho melhor do que o que adotava até então.
Já perdi muito por permitir que o orgulho do meu coração me dominasse. Deixei de ser feliz, perdi amigos e o prazer de conviver em paz com as pessoas, e tudo isso só porque quis que minha opinião prevalecesse.
Em outras circunstâncias, não me dei o trabalho de sequer escutar o que as pessoas tinham a me dizer, porque não acreditava que alguém pudesse dizer algo que eu já não soubesse. Quantas vezes não ouvi a orientação de meus pais, e em seguida dei com a cara no poste! Depois de algum tempo, descobri que me esforçar para fazer minha opinião prevalecer é uma tolice.
O que é mais valoroso, o meu orgulho ou a amizade das pessoas? O meu orgulho ou a paz no seio da minha família? O meu orgulho ou a vida eterna?
Concordar não é indício de estupidez, concordar é resultado da meditação, do bom senso, e só alcançamos isso, quando permitimos que a humildade permeie nosso coração. A humildade nos concede plasticidade, flexibilidade. A humildade é a luz que nos faz perceber como são terríveis as trevas que dominam o coração orgulhoso.
O coração do humilde é livre, o do orgulhoso jaz encarcerado.
Hamilton Anselmo


sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Meu amor

Fiz esse blog para você, e aproveitei para fazer a primeira postagem com uma declaração!

Quero dizer que cada dia ao seu lado tem me mostrado o quanto você é especial! Em coisas simples, nas suas atitudes, reações, posicionamentos,  eu vejo como fui abençoada por Deus! Você me faz feliz demais! Espero que você goste do blog!  TE AMO!!! Liana